terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Incidência de microcefalia no NE já era alta antes da zika


São Paulo – Desde 2012, bem antes do surto da zika explodir por todo Brasil, já existia um elevado número de casos de recém-nascidos com microcefalia. É o que afirma um boletim publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
Um grupo de pesquisadores, ligados à Fundação Círculo do Coração de Pernambuco e da Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba, vasculharam 16,2 mil fichas de bebês nascidos entre janeiro de 2012 e dezembro de 2015  na região Nordeste, onde a incidência de microcefalia em 2015 foi maior.
O resultado do levantamento surpreende.
Nos últimos três anos, cerca de 1,2 mil bebês (até 8% do total analisado) nasceram com a má-formação  – uma média de 400 registros ao ano.
Hoje, o Ministério da Saúde investiga cerca de 3,8 mil casos suspeitos da doença – destes, 462 já confirmados.
Isso revela que o surto atual já é parte da realidade do brasileiro há um bom tempo. “É possível que as autoridades competentes tenham ignorado os casos leves e só tenham notificado os extremos”, diz a publicação. 
Veja mais no site :