quarta-feira, 23 de junho de 2010

Alerta!

A infância em perigo parte 2/6
O Desrespeito com as Crianças
















O abuso

Exploração sexual no ambiente familiar aumentou 250%, diz estudo do governo
A violência contra crianças e adolescentes avança e parece não dar sinais de trégua. os números mostram crescimento de 46% nas denúncias de crimes para esta faixa etária na comparação entre os quatro primeiros meses de 2009 e 2010.
De Janeiro a abri deste ano, o Disque Direitos Humanos recebeu 1.298 denúncias contra 888 registradas no mesmo período do ano passado.

Levantamento parcial feito pela Sedese (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social) mostra que nos quatro primeiros meses deste ano, as denúncias de exploração sexual de menores no ambiente familiar cresceram nada menos que 250%. Neste ano foram 24 telefonemas, contra oito de igual período do ano passado.

No primeiro ano de lançamento do Disque Direitos Humanos – se comparando maio de 2008 a abril de 2009 –, o crescimento foi de 50%, com 2.879 denúncias recebidas contra 1.925 referentes ao período anterior à campanha. Já comparando os dois anos de implantação do projeto, o aumento é de 41% (4.060 contra 2.879).
Relatório do UNICEF aponta que entre 5% e 10% das crianças sofrem abusos com penetração
Um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) informa que entre 5 e 10% das crianças dos países industrializados são vítimas de abusos sexuais com penetração durante a infância.

"Durante toda a infância, de 5 a 10% das meninas e até 5% dos meninos são vítimas de abuso sexual com penetração, e um número três vezes maior de crianças sofre alguma forma de abuso sexual", divulgou o relatório Progresso para as Crianças: um Balanço da Proteção da Criança.

"A cada ano, pelo menos 4% das crianças dos países industrializados são vítimas de maus-tratos físicos, e uma criança em cada dez é vítima de negligência ou maus-tratos psicológicos, em 80% dos casos, por seus pais ou tutores", diz o estudo da UNICEF.

De maneira geral, "o número de crianças no mundo expostas à violência, à exploração e aos maus-tratos é profundamente perturbador", destaca o fundo, que publica o relatório por ocasião dos 20 anos da Conveção da ONU para os Direitos da Criança.

Duas em cada três crianças no mundo sofrem castigos corporais. Entre 500 milhões e 1,5 bilhão são vítimas anualmente de algum tipo de violência, acrescenta.

Além disso, mais da metade das crianças detidas no mundo não foram nem julgadas nem condenadas, enquanto o trabalho infantil é uma realidade para mais de 150 milhões de crianças entre 5 e 14 anos de idade, segundo a UNICEF.

Cerca de 51 milhões de crianças não foram registradas ao nascer, metade delas no sul da Ásia. O relatório ressalta que crianças que não têm registro de nascimento estão mais expostas aos riscos da exploração sexual e da adoção ilegal.

Mais de um bilhão de crianças vive em regiões afetadas por um conflito armado e 18 milhões estão deslocadas, enquanto mais de 250 mil são recrutadas por grupos armados.

Abuso sexual atinge até 30% de crianças de países ricos.


"SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te."2TIMÓTEO 3.1_5

Oremos pelas crianças do mundo!