segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fumo ocasional causa danos graves ao pulmão

Risco de ter doenças pulmonares ocorre mesmo para quem fuma pouco

Danificar os pulmões por causa do cigarro não é só um problema que ocorre com os fumantes, segundo uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Weill Cornell, em Nova York, nos Estados Unidos. O fumo ocasional pode também causar danos no órgão, mesmo em pessoas que fumam pouco, e em fumantes passivos, de acordo com o estudo.

O contato com baixos níveis de fumaça de cigarro aumenta o risco de desenvolver futuras doenças de pulmão como câncer e a doença pulmonar obstrutiva crônica, segundo Ronald Crystal, autor do estudo e chefe da divisão da medicina pulmonar da faculdade.

- Mesmo com os mais baixos níveis detectáveis de exposição, observou efeitos diretos sobre o funcionamento dos genes dentro de células que revestem as vias aéreas.

O médico explica que os genes, geralmente ativados nas células de fumantes, também estão ligados ou desligados em pessoas com exposição à fumaça, mesmo que não seja frequente.

- O efeito genético é muito mais baixo do que naqueles que são fumantes regulares, mas isso não significa que não há consequências para a saúde. Certos genes localizados dentro de células que revestem os pulmões são muito sensíveis ao fumo do tabaco, e as alterações na função destes genes são a primeira evidência de "doença biológica" nos pulmões ou indivíduos.

Para fazer suas descobertas, Crystal e seus colaboradores testaram 121 pessoas de três diferentes categorias: "não fumantes", "fumantes" e "fumantes de baixa exposição." Os pesquisadores testaram os níveis de marcadores de nicotina e cotinina na urina para determinar a categoria de cada participante.
Em seguida, a equipe de investigação digitalizou o genoma de cada pessoa para determinar quais genes estavam ativados ou desativados em células que revestem os pulmões. Eles descobriram que não havia nenhum nível de nicotina ou cotinina que também não se correlacionassem com anomalias genéticas.

- Isso significa que nenhum nível de tabagismo ou exposição ao fumo passivo, é seguro.

Por isso, o médico apoia à proibição de fumar em lugares públicos, onde os não-fumantes, e os empregados das empresas que permitem o fumo, são colocados em risco para doenças pulmonares no futuro.

FONTE: R7