quinta-feira, 12 de agosto de 2010

A história de um massacre ganhou uma rara e exemplar punição na Justiça gaúcha. Em votação unânime, três desembargadores da 21ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado (TJ) condenaram um dos autores do assassinato da cadela Preta – amarrada a um carro e arrastada até a morte em Pelotas, há cinco anos – a indenizar a comunidade por danos morais coletivos.

A morte de Preta
- Estimada e adotada informalmente por frequentadores de um bar no centro de Pelotas, a cadela vira-latas Preta foi amarrada a um Ka e arrastada por cinco quarteirões, até a morte.
- O crime aconteceu em 9 de março de 2005. Os autores do massacre foram três jovens universitários. Eles disseram que o animal não parava de latir, admitiram que ataram o animal a um poste, mas negaram tê-lo arrastado de carro.
- O veículo pertencia a Alberto Cunha Neto, que foi condenado ontem por danos morais.

O acórdão estabelece que Alberto Conceição da Cunha Neto terá de pagar R$ 6 mil, revertidos como doação para o canil municipal pelotense.

fonte: Zero Hora

"Algo curioso!O povo se revoltou, se manifestou pela justiça, houve passeatas, enfim...
aconteceu um movimento pela cadelinha preta, em um mundo em que o amor a cada dia se esfria mais não é espantoso, me pergunto por que o povo não se revolta, não pede justiça, não cria um movimento para defesa de crianças que são abusadas? que são violentadas fisicamente, mulheres que são agredidas por lunáticos, crianças que morrem de fome aqui mesmo no BRASIL, é claro que não se deve fazer esse massacre contra um cão, nem outro qualquer animal, planta seja qual for a vida, pois ela foi e é criação de DEUS e devemos preservar , mas será que a sociedade se importa mais em lutar pela justiça de um cão de que lutar pela vida de uma criança que foi abusada,humilhada?

Repito não estou dizendo que pode massacrar os animais,sim deve haver justiça, mas porque não há esse mesmo empenho para a vida humana?"