quinta-feira, 3 de março de 2016

Petista quer responsabilizar igrejas por atos individuais de membros

Juntamente com Jean Wyllys (PSOL-RJ), a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) é uma das maiores opositoras do evangélicos na Câmara dos Deputados. Defensora do movimento LGBT, ela já atacou várias vezes os cristãos na plenária.
Seu ataque mais recente, que evidencia os esforços do Partido dos Trabalhadores para impor sua agenda “inclusiva” é oProjeto de Lei n. 4371/2016. Ele dispõe sobre “a responsabilidade civil de organizações religiosas por atos de intolerância religiosa praticados por fiéis”.
Dentro da lógica petista, quando um dos membros do seu partido é envolvido em escândalos de corrupção isso é algo pessoal, um erro pelo qual não pode se julgar o partido inteiro.
Contudo, se um membro de uma igreja católica ou evangélica agir de forma independente e causar algum dano a pessoas de outra religião, então a instituição toda deve ser culpada.